Concursos Delegado Dicas de Estudo

Como se aperfeiçoar para a segunda fase de concursos para delegado de polícia?

Imagem emblema deDelegado da Policia Civil
Escrito por G7 Jurídico

Na hora da prova, o tempo é um grande vilão dos candidatos. Tempo perdido em prova é sinal de pontuação e classificação perdidas também. É preciso cautela e boa administração do tempo!

 

O concurso público para Delegado de Polícia é um dos certames mais concorridos e difíceis de se ingressar no país e possui um extenso conteúdo programático cobrado em provas. 

Para ser aprovado e atuar como Delegado é preciso planejar, estudar de forma antecipada e vencer as seis etapas, que geralmente são exigidas:

Prova objetiva;

prova discursiva e elaboração de peça prática;

teste de aptidão física (TAF);

investigação social;

prova oral;

prova de títulos.

Uma das etapas mais importantes do concurso para Delegado de Polícia é a prova discursiva e a peça prática. Então, vamos direcioná-lo, concurseiro, para realizar uma boa prova de segunda fase para o processo seletivo em questão.

 

Como se planejar para a segunda fase?

Normalmente, a prova é composta por três questões discursivas de diferentes disciplinas do edital e uma peça prática policial.

É uma prova de caráter eliminatório e classificatório. Além disso, costuma ter um peso generoso na pontuação total. Portanto, o candidato pode esperar uma prova de alto nível, devendo se preparar ao máximo para essa etapa.

Com isso, a nossa sugestão é que o aluno inclua a resolução de peças práticas e questões discursivas em sua rotina de estudos. Por exemplo:

1- Resolver questões discursivas (uma a três questões por dia) e junto fazer a revisão da matéria que envolve a discursiva.

2- Resolver uma peça prática, estudando e desenvolvendo a sua estrutura, para que o processo de memorização fique aguçado para o dia da prova.

3- Fazer revisões pontuais das disciplinas que podem cair na prova prática.

4- Tirar ao menos um dia na semana para fazer simulações, como se fosse o dia da prova: a resolução de um simulado completo com controle de horário.

Como elaborar uma peça prática de forma adequada?

Primeiramente, o ideal é que o concurseiro memorize um modelo padrão de peça, com as estruturas bem definidas, que poderá ser usado em qualquer peça, variando apenas a argumentação jurídica. Esse modelo padrão pode ser dividido em cinco partes. Veja a seguir:

Endereçamento (é o destinatário da peça).

Preâmbulo (é a qualificação das partes na peça).

Resumo dos fatos (narrativa dos acontecimentos).

Fundamentação jurídica (argumentação baseada na legislação).

Pedidos e finalização (o que se pleiteia e o fechamento da peça).

Se o concurseiro tiver essa base bem definida em mente, isso já facilitará bastante na hora da prova: é meio caminho andado.

O escopo da prova discursiva e peça prática do concurso de Delegado é analisar os conhecimentos jurídicos do candidato. Portanto, além da memorização de um modelo padrão de peça, é fundamental que o candidato saiba produzir um texto de qualidade, muito bem fundamentado juridicamente, com uma boa concatenação de ideias, de maneira que a peça fique coerente e coesa.

Sendo assim, é indispensável que o candidato estude de forma aprofundada os conteúdos abordados na primeira fase do concurso, pois são eles que darão a sustentação necessária para uma excelente argumentação jurídica na peça prática.

Além disso, é preciso também ter o domínio da norma culta da língua portuguesa para a resolução de uma peça prática. Fique atento à gramática normativa, concordância verbal e nominal, ortografia e acentuação, pois são aspectos muito avaliados por qualquer banca examinadora.

 

LEIA TAMBÉM:  A importância de resolver exercícios durante os estudos

 

A importância de resolver exercícios durante os estudos

 

Como devo resolver as questões discursivas?

Para as questões discursivas, não há necessidade de se decorar um modelo padrão de resposta. Não tem segredo, mas, sim, muito estudo, pois o que valerá mesmo é o conteúdo e a sua argumentação jurídica.

São questões que podem exigir letra de lei, jurisprudência e/ou pontos doutrinários. Podem envolver também casos concretos em que o candidato deve dar uma solução. O importante é saber a matéria e colocar em palavras o conhecimento exigido na questão.

No entanto, não adianta apenas colocar em palavras soltas, pois o examinador avaliará a sua capacidade de desenvolver um texto com argumentação jurídica correta e em consonância com a língua portuguesa.

COMO FAZER UMA BOA PROVA?

Como administrar melhor o tempo na hora da prova?

Na hora da prova, o tempo é um grande vilão dos candidatos. Tempo perdido em prova é sinal de pontuação e classificação perdidas também. É preciso cautela e boa administração do tempo! Mas como fazer isso?

A dica mais valiosa que pode ser dada é: treine, treine e treine. Ou seja, faça muitas peças práticas e resolva muitas questões discursivas em seus estudos, com o controle rigoroso do tempo. Assim, você estará competitivo e capacitado para o dia da prova.

Além disso, no dia da prova, faça uma leitura rápida da prova como um todo e inicie por aquela questão que você identificou a resposta, conhece o conteúdo e tem mais facilidade para responder.

Essas são as principais dicas para a melhor administração do seu tempo na hora da prova de segunda fase para Delegado.

Convido você, concurseiro, a conhecer o nosso curso de prática penal ligado ao concurso para delegado da polícia que é imprescindível a todos aqueles que almejam a aprovação nesse disputadíssimo concurso. O Curso tem a finalidade de ensinar as técnicas mais elaboradas da prática policial, etapa de grande importância nos concursos públicos para o cargo de Delegado.

Veja a seguir a organização do conteúdo programático do referido curso:

1ª AULA

Conceito de Polícia Judiciária Atos de Ofício: Portaria, Relatório Final de Inquérito Policial, Decisão de Indiciamento.

2ª e 3ª AULAS

Medidas cautelares pessoais: Auto de Prisão em Flagrante Delito, Prisão Temporária; Prisão Preventiva, Medidas Cautelares Diversas da Prisão, Insanidade Mental.

4ª e 5ª AULAS

Medidas Cautelares Probatórias: Mandado de Busca e Apreensão, (com e sem adesividade), Medidas cautelares assecuratórias (sequestro), Quebra de Sigilo Telefônico, Fiscal, Interceptação Telefônica, Compartilhamento de resultado de interceptação telefônica (prova emprestada).

6ª, 7ª, 8º e 9ª AULAS:

Medidas cautelares especiais: Identificação Criminal, Infiltração de Agentes, Suspensão de Habilitação, Colaboração Premiada, Depoimento Especial – Lei 13.431/2017 (depoimento sem dano), Agente Infiltrado Virtual, Estatuto da Criança e Adolescente, Lei de Combate ao Crime Organizado, Representação dos Artigos 13-A e 13-B do Código Penal.

 

LEIA TAMBÉM: 5 táticas de estudo para concurseiros

LEIA TAMBÉM: Dicas de aprovados para passar no concurso

Sobre o Autor

G7 Jurídico

Comentar

Share This